COMPARTILHE

O que é PACS e como sua clínica pode se beneficiar com essa tecnologia

Por Fábio Almeida em 25 de julho de 2017

pacs

O uso da tecnologia no setor da saúde impacta diretamente o processo de trabalho do médico e o atendimento ao paciente. Por isso, inserir sistemas como o PACS em hospitais e clínicas traz desde benefícios econômicos até mais segurança.

 

A sigla PACS significa Picture Archiving and Communication System, que se traduz em Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens. Sua função primordial é armazenar imagens e facilitar a comunicação entre os setores de hospitais e clínicas. Um sistema PACS ideal deve atender todo o fluxo, desde a aquisição do exame até o diagnóstico, processo de laudo e monitoramento.

 

PACS: principais benefícios

 

Entre os benefícios do armazenamento de exames em um meio digital, está a possibilidade de diminuição da perda dos laudos pelo paciente, que antes levava para sua casa e precisava guardá-los para uma próxima consulta. Agora esses documentos ficam em uma plataforma eletrônica, facilitando a sua busca. Seus recursos melhoram a acessibilidade, segurança e distribuição desse tipo de registro, aumentando a produtividade e oferecendo mais conforto e agilidade ao paciente.

 

A utilização do sistema acarreta ganho na relação médico-paciente, o que garante maior  tranquilidade e segurança devido a melhoria na qualidade do diagnóstico. Isso porque as imagens são apresentadas em alta resolução;  implica diretamente na facilidade e rapidez com que o médico consegue interpretar uma possível fratura. São disponibilizadas na tela do computador para visualização logo após o término do exame, o que aumenta a produtividade, pois o tempo de espera se torna praticamente zero.

 

No e-book “4 tecnologias para melhorar o trabalho em centros de diagnóstico por imagem”, falamos sobre funcionalidades, automatização de processos e gestão de produtividade. Acesse aqui.

 

PACS: superação de expectativas

 

Em resumo, a intervenção da tecnologia  influencia positivamente as soluções médicas. Por exemplo, na área de imagens, o digital ganhou mais força versus o analógico. Neste cenário, foi inevitável o desenvolvimento de um sistema capaz de prover e suportar o novo fluxo de trabalho da área de imagens médicas. Como falamos anteriormente, o PACS tornou-se responsável pela captura, armazenamento e distribuição de exames e laudos.

 

O PACS começou a operar como um ponto de integração entre todas as modalidades dentro dos Centros de Diagnóstico por Imagem. Antes, cada uma era tratada de forma isolada. A necessidade de interoperabilidade também contribuiu pela busca de um padrão de comunicação e fez surgir o DICOM (Digital Communications in Medicine). Foi uma força motriz para acelerar a evolução das tecnologias médicas, como o PACS.

 

Com a atuação do PACS em alto nível e produzindo benefícios significativos, é natural que as clínicas possuam expectativas de utilização da ferramenta. Com destaque para duas delas: gestão e operação e o ponto de vista médico.

 

1ª Gestão e operação

 

Há alguns fatores que se apresentam na primeira expectativa e que são atendidos plenamente pelo PACS. São eles:

 

Busca por redução de custos:  por meio da eliminação da impressão de filmes radiológicos, num ambiente filmless, o PACS permite reduzir um grande custo das clínicas.

 

Maior capacidade com menor custo: recuperação sem perda da qualidade digital. O PACS traz o benefício do armazenamento de uma enorme gama de informações, diminuir a necessidade de espaço físico, facilitar as buscas e garantir mais segurança através de discos magnéticos ou ópticos. O PACS traz uma outra alternativa que é o armazenamento em Cloud Storage dentro do conceito de Long Tem Archive (LTA), que significa arquivar exames antigos com pouca recorrência de acesso.

 

Maior padronização e qualidade dos processos: o PACS permite ao gestor obter uma visão mais clara do ciclo de vida da imagem. Inclusive, para identificar gaps dentro do próprio processo do laudo.

 

2ª Ponto de vista médico

 

Em relação ao olhar médico, existem condições para que uma tecnologia possa atender de forma satisfatória as necessidades da clínicas. Com o PACS, consegue-se superar as expectativas:

 

Sem burocracia, mas com produtividade: o PACS passa a apoiar os médicos na padronização de processos e no aumento da produtividade. Trata-se justamente de um sistema que fornece funcionalidades para auxiliar na atividade, garantindo alto desempenho. A partir do uso do PACS, há maior performance e qualidade no diagnóstico

 

Acessibilidade e acesso remoto: com soluções digitais cada vez mais evoluídas, é de se esperar que existam meios para acessar remotamente as informações do paciente. O PACS permite a visualização de itens de trabalho, como imagens, documentos do paciente e exames, que permitem viabilizar a execução do laudo fora da clínica.

 

Confiabilidade dos dados: o PACS oferece um enorme progresso. Quando há integrações com sistemas HIS/RIS, é possível incorporar dados demográficos do paciente, por exemplo, trazendo uma maior confiabilidade ao processo. Evita-se erros por inserções manuais de dados ou exames e garante-se um diagnóstico com mais segurança possível. A integração de resultados (laudos) é outra possibilidade.

 

O PACS é um sistema com alta qualidade e que pode gerar inúmeras vantagens aos seus usuários. Aqui, você saber quais são as “7 perguntas que você precisa fazer antes de escolher seu PACS”.

 

Quer saber mais sobre PACS? Compartilhe suas dúvidas nos comentários abaixo.

 

*Post publicado originalmente em 6 de fevereiro de 2014 e atualizado em 25 de julho de 2017.

 

call-to-action-4tec

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

8 dicas para evitar glosas

Mostramos 8 maneiras eficientes de evitar ou corrigir um dos problemas mais difíceis de lidar nas instituições de saúde: as glosas.

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para as instituições?

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para instituições de saúde? Como era antes e como deve ser agora com adoção de RIS pelas instituições de saúde.

Não deixe dinheiro na mesa: controle efetivo do faturamento hospitalar

Saiba quais são os segredos para garantir uma gestão eficiente e um faturamento hospitalar saudável

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›