COMPARTILHE

Especialização e perspectivas para uma carreira em healthcare IT

Por Genaro Carrazzone, gestor de TI da Santa Casa de Recife em 27 de junho de 2017

healthcare IT

Quando se fala em excelência na gestão hospitalar, no geral, a primeira imagem é do responsável pela administração e financeiro. Entretanto, esquece-se que a gestão é realizada a partir de uma série de insumos fornecidos por outros profissionais. Um exemplo disso são as atualizações e novos equipamentos ou softwares, além dos dados que são transformados em informação estratégica pela gestão de Tecnologia da Informação (TI) ou healthcare IT. Embora uma carreira em healthcare IT possa não garantir sucesso instantâneo, tem se tornado cada vez mais importante. Contudo, na área de saúde, o profissional tem que saber que não será o centro das operações, que não estará numa posição tão consolidada e compreendida como se fosse na indústria. É preciso aprimorar-se para buscar a melhoria da própria posição e do setor.

 

Retomando a evolução das tecnologias hospitalares, das opções mobile e muito mais, cabe ao responsável da área de healthcare IT a avaliação do que é fundamental para o crescimento da instituição, o que pode ser descartado e o que garantirá maior produtividade. No artigo “Gestão Hospitalar: entre desafios e oportunidades”, mostramos a complexidade dos modelos de gestão. Analisamos, inclusive, o próprio termo: gerir é analisar e também decidir. E, para isso, o dinamismo é um ponto-chave.

 

Um exemplo de falta de gestão profissional é dado na reportagem “Gestão Hospitalar evita erros na administração de instituições”, quando levanta-se o dado de perda de 23,6 mil leitos de internação dentro do Sistema Único de Saúde, no período de 2010 até 2015. Neste caso, questiona-se a preparação dos profissionais especializados para superar obstáculos, sejam de administração ou financeiros, e a proatividade em buscar soluções. Quando se fala em gestão profissional, conta-se também com o healthcare IT.  A área de TI não é uma “atividade fim”, pois quanto mais automatizada está a instituição, maiores são as possibilidades de evitar retrabalhos e crescer em resultados. Como consequência, mais valorizado será o profissional.

 

Qual a perspectiva do mercado para o profissional de healthcare IT? Como vimos, é preciso trazer novas tecnologias, mesmo quando as pessoas não estão preparadas para entendê-las. É papel da TI trazer não só a aplicação, mas também o entendimento. Por isso, um gestor de TI precisa sempre buscar novidades e disseminá-las. Para que a gestão do hospital possa contar com os benefícios de um profissional de healthcare IT é essencial acreditar que se trata de investimento e não de custos. A partir da compreensão do retorno sobre investimento proporcionado pela TI, a perspectiva positiva para o profissional torna-se cada vez maior.

 

Antes de entrarmos nas características de um profissional de healthcare, cabe ressaltar novamente a função da TI de “repassar” a visão de “investimento vs. custo” para a instituição de saúde. Trata-se de uma das funções fazer com que a organização continue executando os processos e que dê ganho de qualidade, agilidade e financeiro. Se a ideia é seguir o caminho de gestor de TI é preciso estar preparado e buscar sempre conhecimento para que nada seja visto simplesmente como um gasto ou uma experimentação.

 

Sobre novas tecnologias, recomendamos sempre procurar artigos que tragam benefícios, argumentos e estudos de casos. Selecionamos três exemplos do Blog da Pixeon: “Como ficam os hospitais no mercado healthcare brasileiro?”, “Administração de hospital: menos margem para erros, mais inteligência” e “Como utilizar a tecnologia para controlar os custos hospitalares?”.

 

Os principais conhecimentos para um profissional de healthcare IT

 

Existem basicamente três pontos que um ótimo profissional de healthcare IT deve ter. São eles:

 

  • Conhecer TI;
  • Conhecer o segmento de saúde;
  • Conhecer outros negócios.

 

Em primeiro lugar, conhecer TI significa estar a par de sistemas e tecnologias, quais os softwares rodam ou não, quais são os bancos de dados mais adequados para cada tamanho de instituição, entre outros. São esses conhecimentos que irão possibilitar uma decisão mais acertada. Por ter habilidades em TI é que será possível para o profissional de healthcare IT dimensionar o equipamento certo para a instituição.

 

Já, o básico de saúde é necessário para entender a complexidade dos processos e das infraestruturas das instituições. Hoje, o ensino de tecnologia ainda não dão conta de mostrar quais os processos para cada segmento. Se um profissional de healthcare IT não souber o básico, demorará pelo menos 6 meses para dar o retorno desejado. Não se trata também apenas da área assistencial, mas ir adentro do hospital, entendendo que ainda há nutrição, farmácia, suprimentos e disciplinas que podem vir até mesmo da área de hotelaria. Ainda assim, com tudo isso, o fundamental é: saber os principais conceitos e aplicações das áreas de financeiro e contábil.

 

Por fim, estar atento ao que outras indústrias estão testando e implementando pode significar novas ideias e adaptações para uso em hospitais. Sendo assim, recomenda-se buscar informações sobre como funciona a indústria, as novidades da área bancária, de serviços, etc. Há automações bastante avançadas nas demais indústrias e cases de negócios que podem ser implementadas nas instituições de saúde.

 

Há diversas instituições de saúde que estão em busca de profissionais de healthcare IT com esse perfil. O que não pode deixar de faltar é o diferencial. Mais do que as três características, o maior diferencial está na empatia. Entender que muitas solicitações são feitas em um momento de pressa ou num grande nível de stress. Afinal, há um médico responsável e um paciente esperando uma solução do outro lado.

 

Quer saber mais sobre healthcare IT? Deixe a sua pergunta em nossos comentários!

 

Case Santa Casa de Recife - Tecnologia Hospitalar
Case Santa Casa de Recife – Tecnologia Hospitalar
COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

8 dicas para evitar glosas

Mostramos 8 maneiras eficientes de evitar ou corrigir um dos problemas mais difíceis de lidar nas instituições de saúde: as glosas.

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para as instituições?

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para instituições de saúde? Como era antes e como deve ser agora com adoção de RIS pelas instituições de saúde.

Não deixe dinheiro na mesa: controle efetivo do faturamento hospitalar

Saiba quais são os segredos para garantir uma gestão eficiente e um faturamento hospitalar saudável

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›