COMPARTILHE

Uma gestão eficiente da farmácia hospitalar pode dar retorno garantido para sua instituição

Por Marília Paraíso em 21 de março de 2017

gestao-da-farmacia-hospitalarA gestão da farmácia hospitalar é algo de suma importância e deve ser tratada também como uma prioridade na saúde.  Além de ser um setor, dentro do hospital, que precisa garantir a qualidade da assistência prestada ao paciente, por meio do uso seguro de medicamentos, é uma área que demanda elevados valores orçamentários.

 

Para as instituições de saúde, ter a garantia da segurança do paciente, com total controle dos custos, é essencial. No ciclo da assistência farmacêutica, a gestão de aquisição de medicamentos é uma das principais atividades e vem exigindo, cada vez mais, que os farmacêuticos estejam preparados para grandes desafios. Além de assumir as atividades clínico-assistenciais, o profissional precisa contribuir para a eficiência administrativa sempre levando em consideração a redução de custos da Instituição.

 

Medicamentos e outros insumos utilizados para realização de exames, como contraste, são altamente perecíveis e precisam de atenção especial quanto à data de vencimento. Nesse cenário, é fundamental controlar validades e lotes nos estoques das clínicas e hospitais. A gestão do uso de OPMEs (Órteses, Próteses e Materiais Especiais) também tem bastante relevância, pois representa um alto custo nas unidades de saúde. Sendo assim, é preciso ter uma simetria na compra destes materiais, com controles rigorosos de estoque, seguindo as regras comerciais definidas possibilitando uma autonomia ao profissional de saúde.

 

A RDC nº 54/2013 da Agência de Vigilância Sanitária, padroniza a rastreabilidade dos medicamentos da seguinte forma:

 

“Rastreamento de Medicamentos: conjunto de procedimentos que permitem traçar o histórico, a aplicação ou localização de medicamentos, através de informações previamente registradas, mediante sistema de identificação exclusivo dos produtos, prestadores de serviço e usuários, a ser aplicado no controle de toda e qualquer unidade de medicamento produzido, dispensado ou vendido no território nacional”

 

Com um bom sistema de gestão da farmácia hospitalar, fica mais fácil e rápido controlar validades e lotes dos insumos. É possível saber exatamente de qual fornecedor o produto foi adquirido, com total controle das informações básicas da empresa, prazos de pagamentos e medicamentos mais vantajosos com melhor relação custo benefício, além de controlar qual lote foi dispensado e se o mesmo foi administrado no paciente correto.

 

O sistema também avisa quem retirou o medicamento do almoxarifado e se algum insumo está acabando, chamado de ponto de ressuprimento, ajudando a monitorar a movimentação no estoque, para que nenhum produto fique em falta ou permaneça armazenado com a validade vencida.

 

Também são emitidos alertas para o dia e horário que será utilizado determinado produto, a fim de evitar que o insumo esteja em falta no estoque quando for necessária a sua utilização.

 

Ainda é possível verificar os vencimentos, para que sejam usados os insumos dos lotes que têm a validade mais curta. O controle por lotes também contribui para os casos em que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), responsável pelo controle de todos os medicamentos e materiais hospitalares fabricados, através do número de lote, data de validade e código de barras, exige que algum lote de medicamento seja retirado de circulação devido algum problema. Por meio do sistema, a instituição pode verificar se ainda tem alguma quantidade no estoque.

 

Definitivamente, um software de gestão eficiente traz mais segurança aos processos e é possível ter total controle dos insumos da sua clínica, com uma precisão e uma praticidade de alto nível, cruzando as informações em tempo real.

 

Confira outros benefícios encontrados na gestão da farmácia hospitalar:

– Aumento do controle em relação ao uso dos medicamentos;

– Redução de custos;

– Diminuição dos erros de administração de medicamentos;

– Registro da validação farmacêutica no prontuário do paciente com informações das interações medicamentosas;

– Aumento da segurança para o paciente e para a instituição.

 

Ficou interessado e está pronto para adotar essas práticas? Entre em contato com nossa equipe especializada.

 

gestão hospitalar

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

8 dicas para evitar glosas

Mostramos 8 maneiras eficientes de evitar ou corrigir um dos problemas mais difíceis de lidar nas instituições de saúde: as glosas.

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para as instituições?

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para instituições de saúde? Como era antes e como deve ser agora com adoção de RIS pelas instituições de saúde.

Não deixe dinheiro na mesa: controle efetivo do faturamento hospitalar

Saiba quais são os segredos para garantir uma gestão eficiente e um faturamento hospitalar saudável

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›