COMPARTILHE

A realidade do câncer no Brasil

Por Dra. Mayana Lopes, Oncologista da Clínica AMO em 3 de fevereiro de 2017


câncerO câncer é um problema de saúde pública mundial. De acordo com a OMS, os óbitos pela doença já atingem 8 milhões de pessoas por ano, um aumento de 40% nas últimas duas décadas. É a doença que mais cresce e pode chegar a 22 milhões de diagnósticos em 2030. Mesmo assim, a população ainda não tem hábitos considerados saudáveis para a redução dos riscos de ter a doença.

 

No Brasil, a estimativa é de 600 mil casos novos de câncer por ano, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA).  E apesar de toda a evolução nos tratamentos, que estão cada vez mais eficazes e menos agressivos, o câncer é a segunda maior causa de morte no Brasil, com aproximadamente 200 mil óbitos por ano.

 

O aumento da expectativa de vida, a urbanização e a globalização são alguns dos fatores que podem explicar parte o aumento da incidência do câncer. Os principais tipos que ocorrem no país são de pele não melanoma (para ambos os sexos), o de próstata e o de mama.

 

Por se tratar de uma doença associada principalmente ao envelhecimento, quanto maior a expectativa de vida da população, maior costuma ser a incidência do câncer. Além da idade, outros fatores de risco já relacionados com o aumento da chance de desenvolver o câncer, principalmente alguns tipos que são considerados preveníveis, como tabagismo, obesidade, sedentarismo, consumo de carnes processadas (linguiça, salsicha, embutidos em geral) e o etilismo (consumo de álcool).

 

A prevenção, no sentido da redução dos riscos, é a principal maneira de se evitar o desenvolvimento da doença. Hábitos saudáveis como: o controle do peso e a realização de atividades físicas regulares (pelo menos 3 vezes por semana por 1h); alimentação saudável com ingesta de fibras, frutas, vegetais e baixo consumo de carne vermelha; não fumar e reduzir o consumo de álcool são passos importantes para afastar o fantasma do câncer de nossas vidas.

 

Outro fator essencial para o combate à doença é a realização de exames específicos anuais feitos por profissionais de saúde, pois o diagnóstico precoce aumenta muito as chances de cura do paciente. Esse é, justamente, um dos maiores desafios na luta contra o câncer: o acesso ao diagnóstico e tratamento adequados, pois o tempo é essencial. Os pacientes que convivem com o câncer enfrentam inúmeros problemas para garantir o acesso aos exames básicos, ao tratamento rápido e de qualidade, com a falta de infraestrutura, transparência e agilidade nos processos regulatórios.

 

Esperamos que tanto o governo quanto a sociedade entendam que o câncer é uma realidade muito próxima e que a tendência das estatísticas é de crescimento. Para mudar esse cenário é preciso que a sociedade, governos e entidades se voltem para o problema e realizem ainda mais serviços de assistência à população e campanhas de conscientização.

 

Leia também:  

 

gestão do processo de laudos

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

As maiores preocupações em compliance na saúde com empresas de tecnologia

Compliance na saúde: por que é tão importante? Numa área sensível, o compliance garante o bom andamento das soluções tecnológicas nas instituições.

10 vantagens do uso do Prontuário Eletrônico - PEP

Quais são as vantagens que o uso do PEP (Prontuário Eletrônico do Paciente) pode proporcionar? Confira exemplos e um checklist com 10 fatores fundamentais.

Radiologia digital: por onde começar os processos de digitalização?

Por onde começar o processo de Radiologia Digital? O guia gratuito “Digitalização na radiologia: por onde começar?” ensina do conceito até a prática.

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›