COMPARTILHE

Como gerenciar um centro cirúrgico

Por Julie Almeida e Luciana Silva em 18 de novembro de 2016

HISPara o bom funcionamento de um Hospital, com uma rotina dinâmica e complexa, é fundamental que a unidade tenha total controle de todos os processos: estratégico, gerencial e operacional. Com o HIS é possível gerenciar todas as áreas, de forma precisa e segura, proporcionando o pleno funcionamento entre os setores, como: atendimento, admissão de pacientes, pré-internação com controle de autorização de OPME, urgências e emergências, centro cirúrgico e obstétrico, estoque, manutenção faturamento (convênio e SUS), contabilidade, orçamentos e custos, BI, entre outras áreas.

Quando falamos em processos interligados e com total controle, podemos citar a complexidade da gestão de um centro cirúrgico, por exemplo.

 

Um dos ambientes dentro de um hospital que exige total segurança nos procedimentos e que vai além de equipamentos e aparelhagem sofisticada. E é justamente aí que um bom sistema de gestão faz toda a diferença.

 

Como a utilização das salas cirúrgicas é bastante concorrida, o Hospital precisa ter um nível de organização muito grande para gerenciar toda a logística desse setor. Afinal, um melhor gerenciamento resulta em redução de custos para a Unidade, maior produtividade da equipe e um melhor atendimento para os pacientes.

 

A gestão do centro cirúrgico começa na pré-internação. Neste momento é possível ter a informação do procedimento que o paciente irá utilizar. Após autorização da cirurgia , o paciente está elegível para marcação da cirurgia. Na marcação, o profissional consegue ter uma visão geral de todos os agendamentos e solicitar, de acordo com a disponibilidade, os cadastros prévios dos Recursos Especiais que podem ser utilizados na cirurgia: reserva de UTI, banco de sangue, bisturi etc. Se algum desses recursos não estiver disponível na data e hora solicitada, o sistema emite um alerta. Após a marcação, automaticamente, é gerado o número de solicitação de materiais e medicamentos para o estoque, que terá total controle de tudo que será utilizado. Quando o paciente chega para a cirurgia, todos os itens estarão separados em suas quantidades certas, evitando assim atrasos nas cirurgias. No módulo do Centro Cirúrgico é possível cadastrar, previamente, as equipes cirúrgicas e os respectivos procedimentos vinculados aos mesmos. Também existe a possibilidade de realizar orçamento, com a possibilidade de registro por paciente.

 

Dentro do Centro Cirúrgico é possível identificar os consumos de materiais e medicamentos. Após essa identificação, será realizado o registro da cirurgia, que compõe a nota de sala. No registro será documentado todo o procedimento realizado pelo paciente, quais foram os profissionais responsáveis, o procedimento realizado, possíveis auxiliares, bem como todos os materiais e medicamentos utilizados. O que não foi utilizado, no momento da identificação do consumo, o sistema gera uma solicitação de devolução para o estoque. Nos casos de cirurgia obstétrica, além de todas essas informações, é possível também lançar a quantidade de recém-nascidos por dia. Tudo isso de forma rápida e fácil, trazendo mais segurança na informação, controle na movimentação de produtos e automação do faturamento.

 

gestão hospitalar

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Pré-requisitos para escolher um bom parceiro de TI na saúde

Quais os pré-requisitos para escolher um parceiro de TI na saúde? Elencamos pontos importantes para a relação fornecedor-instituição.

8 principais acertos do CIO Hospitalar

David Oliveira – consultor e fundador da DECIDA e sócio-diretor da ItechMed – listou os principais acertos do CIO Hospitalar. Confira o infográfico.

Tecnologias de gestão em saúde eficazes para hospitais

As tecnologias de gestão em saúde são fundamentais para garantir a eficácia do hospital. Saiba quais os principais equipamentos e como utilizá-los.

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›