COMPARTILHE

Evite erros de medicação com o uso de um sistema automatizado

Por Jéssica Nunes em 15 de julho de 2016

gestão de medicamentosTanto as empresas quanto as pessoas estão sujeitas a errar. No entanto, as instituições de saúde têm que ter mais cuidado para que as falhas não aconteçam para a garantir a segurança do paciente.

 

Mesmo assim, a pesquisa realizada pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, divulgada em janeiro de 2016, apontou o índice de erro de 30% na hora de administrar a medicação nos hospitais do país. Desses, 77,3% são enganos referente ao horário. Ou seja, medicar antes ou depois do tempo previsto na prescrição médica. Esse cenário pode mudar com ajuda de um software hospitalar.

 

Isso porque um sistema automatizado que conta com funcionalidades de farmácia e enfermagem pode poupar gastos desnecessários e evitar falhas à uma instituição.  Veja algumas soluções informatizadas envolto desse tema:

 

  • Controle de medicamento: em um sistema informatizado o setor de farmácia pode adicionar ou controlar as informações de cada sistema. Por exemplo, é possível definir que um determinado medicamento só pode ser manipulado via oral e, dessa forma, se o médico for prescrever para o paciente tomar via intravenosa, o sistema avisará e bloqueará essa ação para o colaborador. Isso também pode ocorrer em relação a dosagem do medicamento.  

 

  • Aprovação da prescrição: a integração entre o médico e a farmácia acontece de forma automatizada. Nesse cenário, o médico prescreve o medicamento, que só é liberado depois da aprovação do setor farmacêutico da instituição.

 

  • Interface adequada ao setor de enfermagem: nos sistemas hospitalares mais completos, os enfermeiros têm acesso a uma tela personalizada onde podem visualizar e incluir as informações do paciente, inclusive sobre a medicação. Assim, eles conseguem ver a prescrição médica, dosagem e os horários que o paciente deve receber o medicamento. O que permite um controle fácil dos remédios pelos profissionais. Outro ponto positivo a nível de sistema é disponibilizar campos de dados em que a enfermagem possa sinalizar para o médico quando o paciente se recusa ou teve alguma reação a uma determinada prescrição.

 

  • Código de barras: algumas instituições contam com infraestrutura mais robusta, o que possibilita mais controle entre os medicamentos e os pacientes. Por meio de um código de barras, os enfermeiros checam se os dados da prescrição correspondem aquele paciente. Isso diminui a chance de erro da medicação ser trocada.

 

Essas são algumas das vantagens que um sistema pode fazer para que a sua instituição possa garantir a segurança do paciente na hora da medicação. 

 

E você, já utiliza algum sistema para administrar medicamentos na sua instituição de saúde? Comente abaixo.

 

Saiba mais:

gestão hospitalar

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

O que é DMED e algumas dúvidas frequentes sobre o tema

A DMED foi instituída com o objetivo de facilitar a declaração de despesas médicas pelas pessoas físicas. Saiba quem deve realizá-la, como é feita e outras dúvidas.

Pleres: conheça o software de gestão para medicina diagnóstica

Por que é importante conhecer sobre o Pleres? Com a tecnologia, as instituições ganham inúmeros benefícios, como economia, flexibilidade e automatização.

Tudo que você precisa saber para alcançar a certificação HIMSS

HIMSS: Tudo que você precisa saber para alcançar a certificação. Saiba como é feita a avaliação, quais são os estágios e a função do PEP.

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›