COMPARTILHE

A administração da farmácia hospitalar

Por Andressa Oliveira em 14 de abril de 2016

otimização de equipamentos de radiologiaO hospital tem áreas de extrema importância para que sua rotina transcorra sem problemas. Uma das áreas mais importantes no tratamento dos pacientes é a farmácia. Administrar a farmácia é uma tarefa crucial, que precisa estar sempre bem organizada e, por isso, a melhor opção é utilizar integrar o sistema de gestão da farmácia e o sistema geral do hospital.

Uma das facilidades mais importantes de um sistema de gestão informatizado são os parâmetros que ele fornece para o controle dos suprimentos da farmácia. Esses parâmetros ajudam o administrador, manter o estoque em dia e fornecer informações como o ponto de ressuprimento, o estoque máximo e o ponto de segurança, por exemplo. Alguns parâmetros funcionam também para o estoque e você pode saber mais sobre eles aqui.

A dispensação da farmácia do hospital se dá pelo consumo do paciente. Cada paciente tem uma solicitação individual, que é enviada à farmácia, que é analisada e liberada. Para ser feita a liberação, a equipe de enfermagem faz a confirmação do recebimento dos medicamentos e isso fica registrado no sistema, além do usuário responsável pela liberação do medicamento dentro da farmácia. Em instituições privadas, que trabalham com cobranças, a cada dispensação feita para o paciente, gera-se uma ordem de serviço (OS), atrelada à sua conta. Ao final do tratamento, o convênio cobre os gastos, ou o paciente será o responsável por eles.

Caso um medicamento não seja utilizado, cabe ao usuário responsável fazer a devolução para o estoque, registrando a devolução no sistema. Muitas vezes, quando um material é devolvido, para manter que não haja cobrança indevida de um medicamento a um paciente, gera-se uma nova OS para que seja feita essa alteração.

Para facilitar a dispensação, na farmácia também existe um processo chamado individualização. Por exemplo, chega ao estoque uma caixa de Dipirona com 30 comprimidos. A equipe da farmácia faz a divisão, identificando cada comprimido separadamente, indicando lote e validade.

Em hospitais de grande porte, que têm outras unidades ligadas a ele, é comum que haja farmácias satélites ligadas à matriz. Na farmácia satélite, a dispensação ocorre de forma diferente e o controle de estoque precisa ser feito pelo mesmo sistema da farmácia matriz, para que seja mais fácil o controle. Apesar de também ter os mesmos parâmetros, a solicitação de de reposição precisa ser feita pela farmácia matriz e transferida para a satélite em seguida, assim unificam-se os pedidos e facilita o trabalho do setor financeiro.

A administração da farmácia de um hospital pode ser muito facilitada utilizando um sistema integrado de gestão. Conheça esse e outros sistemas acompanhando nosso blog ou entrando em contato com nossa equipe de especialistas.

 

Saiba mais sobre o HIS:

gestão hospitalar

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Pré-requisitos para escolher um bom parceiro de TI na saúde

Quais os pré-requisitos para escolher um parceiro de TI na saúde? Elencamos pontos importantes para a relação fornecedor-instituição.

8 principais acertos do CIO Hospitalar

David Oliveira – consultor e fundador da DECIDA e sócio-diretor da ItechMed – listou os principais acertos do CIO Hospitalar. Confira o infográfico.

Tecnologias de gestão em saúde eficazes para hospitais

As tecnologias de gestão em saúde são fundamentais para garantir a eficácia do hospital. Saiba quais os principais equipamentos e como utilizá-los.

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›