COMPARTILHE

16 benefícios do PEP - Prontuário Eletrônico do Paciente

Por Elaine Silva, Grace Leite, Daniela Bichara e André Silveira em 16 de janeiro de 2017

Prontuário do paciente

Prontuário Eletrônico do Paciente: o divisor de águas no atendimento seguro e multidisciplinar

 

 

 

Por Grace Leite, Consultora de Produto da Pixeon

Daniela Bichara, Analista de marketing de produtos

André Silveira, Diretor de gestão e concepção de produtos da Pixeon

 

 

O PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente é uma tecnologia que pode trazer muitos benefícios aos pacientes. E essa já não é mais uma visão somente dos especialistas do setor. Os próprios usuários dos sistemas de saúde que já estão tomando ciência do que o PEP pode fazer por suas vidas. Os pacientes tem se tornado pró-ativos com relação à sua saúde e valorizam a segurança de suas informações médicas.

 

No entanto, o PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente depende da adoção das instituições. E cabe aos gestores perceberem que a medida afeta diretamente o paciente, mas também traz infinitos benefícios à clínica ou hospital e, especialmente ao médico. Nos Estados Unidos, de acordo com o ONC Data Brief – relatório do escritório nacional dos EUA de coordenação de TI para saúde -, de 2008 para cá aumentou em oito vezes o número de hospitais que possuem um sistema de PEP. No Brasil o número ainda não é tão alto. No entanto, nota-se que os médicos têm utilizado a tecnologia da informação para registrar dados sobre seus pacientes. A pesquisa Médicos 2015 mostra que entre as capacidades de TI que os médicos mais utilizam no Brasil estão a inserção eletrônica de observações sobre os pacientes, recepção de resultados clínicos diretamente no PEP do paciente e apoio nas decisões clínicas.

 

O uso do PEP por policlínicas

 

E se isso já é útil individualmente para cada médico, imagine no caso de policlínicas e Hospitais, por exemplo, que reúnem diversas especialidades em um só local. O  PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente se torna fundamental para auxiliar especialmente o acesso simultâneo às informações por vários profissionais de saúde. De forma interdisciplinar, é no PEP que está o histórico clínico, exames, diagnósticos e tratamentos do Paciente.

 

Esse tipo de facilidade beneficia tanto aos médicos, que tornam seu atendimento mais assertivo. Mas também beneficia os pacientes, que não precisam repetir exames feitos recentemente e nem responder as mesmas perguntas diversas vezes para profissionais diversos. Se tudo fosse feito em papel, como acontece ainda em hospitais e clínicas não digitalizados, cada médico teria que fazer individualmente sua avaliação. Muitas vezes arquivos se perderiam dentro da instituição e ainda a transmissão de informações entre áreas seria muito mais lenta.

 

PEP e as diversas especialidades

 

 

Justamente na questão de transmissão de informações, o PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente se mostra vantajoso pelo fato de se interligar diversas áreas de uma policlínica. E assim beneficiar tratamentos complexos, como os oncológicos, para o qual é fundamental que profissionais da saúde envolvidos obtenham informações sobre as atividades realizadas durante todo o processo, como remédios administrados durante uma quimioterapia, prescrições já validadas pelos plantonistas e que devem ou não prosseguir de acordo com a evolução do caso de cada paciente, entre outras atividades que merecem um nível alto de segurança.

 

Essa confiança é trazida especialmente pela integridade e garantia de informações corretas. A padronização de preenchimento de campos que a digitalização traz tem o benefício de não de engessar as informações. E ainda cristalizá-las em um arquivo digital. E sim ter a informação clara, segura e questões específicas cadastradas no prontuário. Elas são separadas por especialidades e também por protocolos que conseguem sugerir possíveis tratamentos para determinadas enfermidades. Esses dados podem ser utilizados como um norte para os médicos no momento da anamnese em diferentes especialidades.

 

O cenário de atendimento ao paciente se torna muito mais macro, uma vez que com o PEP é possível manter um banco de dados de altíssima qualidade e detalhamento dos pacientes.

 

O Futuro do PEP 

 

Isso mostra o futuro do PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente, que tem como tendência em todo o mundo cada vez mais ser adotado de forma multidisciplinar. Dessa forma, facilita e também agiliza o acesso às informações médicas, tornando o diagnóstico mais preciso e seguro. Além de um atendimento mais ágil e efetivo. Algo que, inclusive, os pacientes notam, como mostra novamente a pesquisa Médicos 2015. Segundo os profissionais da saúde entrevistados, o uso do PEP possibilita a melhoria da satisfação dos pacientes e a ampliação da comunicação entre médico e paciente, algo que traz ganhos imensuráveis para a instituição, que se torna reconhecida por seu trabalho humanizado e seguro.

 

Com a evolução do PEP, estaremos diante desse verdadeiro divisor de águas, com pacientes e médicos entrando de vez na era do compartilhamento, que já chegou em outras áreas e, finalmente, desagua na área médica.

 

Leia também:

Prontuário Eletrônico do Paciente

 

 

16 benefícios do PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente

 

Por Elaine Silva

 

O PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente é uma das principais ferramentas do médico durante o tratamento de um paciente. E, de acordo com as orientações e determinações da Resolução CFM Nº 1638/2002, ele deve seguir uma estrutura padrão que define todos os documentos do mesmo tipo.

 

Na área da saúde, nos tempo atuais, a utilização da Tecnologia da Informação e Comunicação em Saúde (TICS) é cada vez mais comum. E traz diversos recursos, possibilidades e benefícios para o dia a dia da instituição de saúde. O PEP é a principal ferramenta de TICS de que o médico se utiliza para administrar o tratamento dos seus pacientes. O PEP pode ser utilizado no consultório, no centro diagnóstico ou ainda no hospital.

 

Para destrinchar as vantagens que essa tecnologia trouxe à rotina das instituições de saúde, listamos os 16 benefícios do PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente:

 

#1 Módulos que facilitam a interação com o usuário


Em geral, existem dois módulos do prontuário eletrônico. O primeiro deles é o Módulo Consultório Médico.  Ele é utilizado para o atendimento ambulatorial, consultas, exames e diagnósticos, em hospitais e clínicas. O outro módulo é o de Assistência Médica e de Enfermagem. Utilizado para internações, pois está focado no leito. A principal diferença entre os dois é que o foco do primeiro é na fila de espera e, do segundo, no leito.

 

#2 Subdivisão em abas


O PEP é subdividido em abas, para organizar cada processo feito com o paciente. Há diversas abas dentro do sistema que separam cada etapa do tratamento. Dessa forma, separa-se desde o preenchimento de dados demográficos, à prescrição do tratamento. Por exemplo, há uma aba de prescrição de medicação para o paciente, outra de diagnóstico, outra de registros clínicos e assim sucessivamente. Essa subdivisão é importante para organizar o histórico e o tratamento do paciente. E ainda facilitar o entendimento de toda a equipe envolvida no tratamento de cada paciente.

 

#3 Medicamentos pré-cadastrados


O sistema permite o pré-cadastramento de medicamentos de acordo com cada caso específico. Por exemplo, se um paciente chega à clínica com gripe, é possível cadastrar tipos de medicamentos diferentes para tratar os sintomas. Desta forma, é possível fazer a busca de um medicamento e criar a prescrição com poucos cliques.

 

#4 Doenças catalogadas


A parte de diagnóstico do sistema proporciona também várias facilidades para o médico. Esta aba traz todas as doenças catalogadas com base no Classificação Internacional de Doenças (CID-10). Essa classificação otimiza muito a busca de patologias do paciente, por exemplo.

 

#5 Todo histórico do paciente em uma única tela


Na aba de registros clínicos o médico é capaz de visualizar todo o histórico clínico do paciente naquela instituição. Este é um advento que pode auxiliar muito no tratamento do paciente. É possível entender por quais procedimentos ele já foi submetido e quais medicamentos foram administrados em outra ocasião. Para então, alinhar um tratamento mais assertivo.

 

#6 Modelos de laudo, atestado e receita


Modelos de documentos agilizam o atendimento e podem economizar um tempo precioso do médico. O sistema é capaz de armazenar vários tipos de modelo de laudo, atestado médico e receita. Esses documentos são totalmente editáveis de acordo com as preferências do médico.

 

#7 Elimina o papel


O prontuário eletrônico tem um conjunto de informações que facilita e otimiza os serviços de clínicas e hospitais. Neste processo elimina-se o prontuário físico, o que gera uma economia de papel para a instituição. A eliminação do papel evita erros e trocas de prontuário, o que pode acontecer com a versão física.

 

#8 Comunicação dinâmica


O PEP pode tornar o contato com a recepção muito mais dinâmico, pois o médico consegue visualizar o cadastro do paciente no momento em que ele é realizado na recepção. Isso otimiza o fluxo de trabalho dele e o processo de atendimento do paciente.

 

#9 Continuidade no atendimento ambulatorial


No prontuário, o médico faz todo o registro do paciente, preenchendo informações como tipo sanguíneo, pressão arterial e temperatura no momento do atendimento e outras informações importantes. Esses dados ficam guardados no sistema e, caso o paciente volte, é muito mais simples ter acesso a essas informações no prontuário eletrônico. Isso facilita na continuidade do tratamento dele, auxilia no próximo atendimento, colaborando para o histórico do paciente.

 

#10 Acesso remoto


Uma das facilidades do PEP é que ele permite o acesso remoto de qualquer lugar do mundo. Isso pode facilitar o diagnóstico ou a análise de um prontuário em um caso urgente. Por exemplo, é possível dar ao médico mais flexibilidade e facilidade em tratar seus pacientes.

 

#11 Equipe integrada no tratamento


Além do médico, a equipe de enfermagem, fisioterapeuta tem acesso ao PEP. E registram todos os tipos de evolução, facilitando o diagnóstico. Todos os prestadores de serviço utilizam o mesmo prontuário e pode ser utilizando simultaneamente.

 

#12 Alertas do paciente


Quando o paciente faz a primeira consulta, o médico registra em no PEP, por exemplo, suas alergias a medicamentos ou substâncias. Quando este mesmo paciente for atendido por qualquer outro médico nessa mesma instituição e o profissional tentar prescrever a substância a qual ele tem alergia, o sistema não permite. Isso evita erros médicos e colabora para o melhor atendimento do paciente.

 

#13 Assinatura eletrônica 

Os médicos, biomédicos e outros profissionais envolvidos no tratamento e diagnóstico do paciente podem ter sua assinatura cadastrada no sistema.  Isso agiliza o processo de autenticação do médico. A assinatura digital é autenticada e está ligada ao CRM do profissional.

 

#14 Aplicação do medicamento


A enfermagem pode registrar no sistema a administração do medicamento ao paciente. Isso elimina o uso do papel, otimizando a rotina destes profissionais. Ressalta-se esse processo na passagem de plantão e na organização dos medicamentos de cada paciente.

 

#15 Pedidos de exames


Os pedidos de exames podem ser agrupados por tipo, o que facilita a busca do médico dentro do PEP. Assim, é muito mais simples solicitar apenas os exames necessários para aquele paciente. O médico pode agrupar os exames como achar que faz mais sentido para o tratamento daquele paciente.

 

#16 Medicamento pré-cadastrado


Todo o medicamento deve ser pré-cadastrado no sistema e, com apenas um clique,o médico é capaz de buscar o medicamento, Além disso, é possível gravá-lo direito na prescrição – que, com os modelos de prescrição do sistema, torna o processo muito simples.

 

Conheça outros benefícios que o PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente pode trazer para o atendimento na sua instituição: entre em contato com nossa equipe de especialistas!

 

Conheça também:

gestão hospitalar

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Confira as melhores dicas de gestão para você cuidar melhor da sua clínica

Gestão é alicerce para o sucesso de qualquer tipo de negócio. Em especial, na gestão de clínicas, não é diferente. Fazer com que uma clínica venha a prosperar requer muito mais do que ser um bom gestor. É preciso ter controle minucioso de todos os processos. Ter uma visão global da sua unidade, com o monitoramento das ações nas mais diversas áreas da gestão, é fundamental.

Uma gestão eficiente da farmácia hospitalar pode dar retorno garantido para sua instituição

A gestão da farmácia hospitalar é algo de suma importância e deve ser tratada também como uma prioridade na saúde. Além de ser um setor, dentro do hospital, que precisa garantir a qualidade da assistência prestada ao paciente, por meio do uso seguro de medicamentos, é uma área que demanda elevados valores orçamentários.

Por que apostar em tecnologia para saúde no mercado hospitalar?

Na última década, o mercado nacional de healthcare obteve avanços significativos utilizando a tecnologia para saúde para promover crescimento sustentável.

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›