COMPARTILHE

Como mensurar resultados de uma unidade para definir investimentos no hospital

Por Pixeon em 9 de abril de 2015

shutterstock_94655005

Muitos administradores são conscientes de que precisam estar realmente a frente de seus negócios, mas nem sempre tomam todas as medidas cabíveis para assegurar o seu bom funcionamento. Prezar, de fato, pelo dia a dia da sua unidade hospitalar, vai muito além de olhar apenas para o que ocorre no operacional. Há cuidados que jamais podem ser negligenciados e que exigem até mesmo dedicação exclusiva por parte do administrador, pois garantem a saúde do negócio e as chances de estar à frente dos concorrentes em um mercado cada vez mais competitivo.

 

 

Já sabemos que é muito importante ter uma ferramenta de gestão que auxilie no controle dos custos de um hospital. É ela que torna evidente, de forma precisa, gastos e lucros, indicando ao administrador quais setores e procedimentos são mais dispendiosos e aqueles que, em apenas alguns dias de atividade, cobrem os próprios custos. Esse processo também traz tranquilidade e maior transparência quanto às finanças da instituição e garante a saudabilidade dos processos. Entretanto, a tomada de decisões vai além do mero controle dos dados – é preciso conhecê-los, compreendê-los e interpretá-los junto a um sem número de variáveis para definir, com segurança, em que áreas deve-se investir novos recursos e de onde devem ser retirados determinados investimentos.

 

 

Em suma, tomar decisões estratégicas em qualquer negócio é algo que necessita de indicadores sólidos e ajuda a mensurar os resultados de uma unidade. Dentro de um hospital cada unidade representa um organismo único, que precisa ser gerenciado individualmente, para garantir a lucratividade. Para esses casos, é interessante aliar o módulo de contabilidade ao módulo financeiro do Smart HIS, um recurso capaz de gerar esses indicadores que auxiliam na tomada de decisões estratégicas por meio de diversos relatórios, entre eles:  Demonstrativo de Resultados de Exercício (DRE) por centro de custo, Custo por procedimento, Custo da Diária, Minuto Cirúrgico, etc . A partir desses relatórios é possível gerenciar os gastos, obtendo informações fundamentais para discussão sobre precificação junto a operadora de serviço, além de avaliar o impacto dos honorários nos centro de resultados, composição de pacotes, além de permitir  evidenciar o resultado líquido da sua instituição e ter acesso a uma síntese financeira dos resultados operacionais e não operacionais.

 

Esse ferramental é amigável e flexível, permitindo que você selecione os dados por período, centro de custo ou por empresa; fazer simulações para atingir resultado positivos dentro de um cenário projetado ou ainda gerando análises precisas  em situações nas quais você deseja avaliar o impacto de determinado investimento.

 

Conheça também:

call-to-action2-04

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Pré-requisitos para escolher um bom parceiro de TI na saúde

Quais os pré-requisitos para escolher um parceiro de TI na saúde? Elencamos pontos importantes para a relação fornecedor-instituição.

8 principais acertos do CIO Hospitalar

David Oliveira – consultor e fundador da DECIDA e sócio-diretor da ItechMed – listou os principais acertos do CIO Hospitalar. Confira o infográfico.

Tecnologias de gestão em saúde eficazes para hospitais

As tecnologias de gestão em saúde são fundamentais para garantir a eficácia do hospital. Saiba quais os principais equipamentos e como utilizá-los.

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›