COMPARTILHE

10 vantagens do uso do Prontuário Eletrônico - PEP

Por Daniela Bichara (Pixeon) em 12 de setembro de 2017

pep

Conteúdo publicado originalmente em 10 de março de 2015 e atualizado em 12 de setembro de 2017.

 

Como o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) pode auxiliar as instituições de saúde? Primeiro, é preciso entender o contexto. Em muitas ocasiões, o atendimento precisa envolver diversas especialidades e áreas: cardiologia, oftalmologia, oncologia, nefrologia e enfermagem, fisioterapia, fonoaudiólogo, nutricionista, fisioterapeuta, entre outros. O que pode significar uma locomoção dentro de um espaço físico. Poderá ser necessário ir para várias áreas do hospital ou clínica e, até mesmo, em uma unidade diferente da mesma instituição. Nesse caso, como organizar as informações geradas em tantos locais?

 

Neste ponto, o PEP tem uma atuação muito importante. A segurança das informações dentro do fluxo de um atendimento para outro é que irá subsidiar grande parte dos benefícios da tecnologia. Com os dados organizados dentro de um contexto, cria-se um apoio para a decisão de qual tipo de tratamento será adotado para o paciente.

 

Com o amparo de uma equipe competente e capacitada, a utilização de informações e conhecimento sobre o paciente também proporciona um diagnóstico e tratamento corretos. Por isso, é tão relevante a transmissão de informações entre diversas especialidades com o uso do PEP. Diversos tratamentos classificados como complexos exigem que os profissionais tenham fácil alcance de todos os procedimentos efetuados como, por exemplo, quais são os medicamentos administrados durante um exame ou as prescrições dos plantonistas.

 

PEP: antes versus depois, o que mudou?

 

A prática mais utilizada antes da adoção do PEP é a da transcrição num prontuário físico. Ou seja, compilar manualmente em fichas para cada paciente. Com a tecnologia, a era do papel chega ao fim. O PEP é um dos mecanismos que fazem parte da Tecnologia Paperless. E qual é o conceito? Facilitar o acesso a informações e, ao mesmo tempo, mitigar erros manuais ou de ruído de comunicação. Tudo está armazenado num único local. A redução do papel é uma medida tanto de sustentabilidade quanto de inovação.

 

Outro ponto é que antes, ao compilar manualmente as informações, havia uma dificuldade e, até mesmo, a impossibilidade de cruzamento de dados. O que impedia a eficiência no transporte de dados e entendimento por todas as equipes. Sem o PEP, o resultado era uma análise fragmentada da saúde, a inviabilidade de obter registros antigos de cada paciente e o extravio dos prontuários que concentravam todo o histórico clínico.

 

O pós-PEP, ou seja, quando a instituição faz uso do PEP, apresenta um índice de produtividade maior e crescente. Assim que o paciente passa pela triagem e avisa que possui uma alteração cardíaca, ao chegar na consulta, o médico estará com todas as informações. É tudo eletrônico e online. Outro exemplo: quando o paciente faz uma ressonância dentro da instituição e volta em outra semana, mesmo que seja um médico diferente, o profissional terá acesso a todos os resultados anteriores e irá acrescentar mais observações.

 

Sobre produtividade, o PEP também agiliza os exames que são padrão. Por exemplo, alguns são obrigatórios para todas as gestantes. Por isso, o médico deixará separado em uma pasta e apenas aperta o botão para imprimir. Não é preciso escrever um por um. É possível fazer apenas um bloco e encaminhar para o paciente. No entanto, não significa que todos exames obedecem um padrão. Quando há um quadro específico, é possível ter informações sobre procedimentos anteriores e futuros, agendas as sessões e pedir uma pré-autorização para o plano de saúde.

 

PEP

 

PEP: personalização, agilidade e gestão

 

O PEP automatiza, mas também personaliza. O que isso quer dizer? Que uma paciente, ao chegar abatida ao hospital e relatar na triagem que está com um problema pessoal, por exemplo, como um animal de estimação doente, terá essa informação em seu PEP. O médico saberá disso e poderá comentar sobre o assunto, o que torna o atendimento mais pessoal.

 

Por fim, há duas características antes de entrarmos no checklist das vantagens. A primeira é a agilidade no atendimento. Com o PEP é possível acompanhar todo o fluxo do paciente dentro da instituição, comprovando cada etapa para os planos de saúde e evitando a glosa. Em segundo, há mais recursos para a gestão, que poderá acompanhar os indicadores de desempenho, como número de retornos, óbitos, etc. Servem como argumento de negociação com os planos de saúde.

 

Se você tiver interesse nos assuntos correlacionados, recomendamos os materiais educativos: Como superar o desafio da Glosa e 5 dicas de gestão para CIO da área de saúde.

 

10 principais benefícios do PEP

 

Como abordamos anteriormente, a tecnologia tem motivado várias mudanças positivas na área da saúde. O PEP é apenas um dos exemplos de como é possível adquirir benefícios estratégicos para uma instituição. Abaixo, fizemos um checklist objetivo com 10 vantagens que o PEP pode proporcionar:

 

1. PEP permite a possibilidade de manter registros por tempo indeterminado sobre cada paciente;

2. Qualquer pessoa com acesso ao documento pode fazer filtros e buscas internas, por data ou por médicos responsáveis, por exemplo;

3. O acesso é remoto e pode ser feito simultaneamente, por vários profissionais de saúde envolvidos no tratamento;

4. O mesmo acesso remoto permite ao médico responsável acessar e editar o PEP de qualquer lugar do mundo;

5. Segurança de dados: com um sistema seguro, o PEP é uma forma confiável de guardar os dados do paciente;

6. No quesito confidencialidade o PEP também é eficaz, pois apenas usuários liberados podem ter acesso monitorado;

7. O PEP está no sistema de HIS e este pode se integrar com RIS e PACS. O que torna ainda mais fácil o acesso de múltiplos profissionais de saúde envolvidos no tratamento;

8. É possível anexar outros materiais, como exames, anotações e até mesmo indicação de intolerância do paciente a algum medicamento;

9. Erros de transcrição e legibilidade são eliminados;

10. O sistema possibilita assinatura eletrônica do médico que está linkada diretamente ao seu CRM.

 

O PEP está cada vez mais evoluindo para atender as necessidades do paciente. Aqui, apresentamos 10 vantagens básicas, mas ainda há muito mais! Aprofunde-se no tema e descubra: 21 vantagens de PEP em uma instituição. Agilidade, segurança, armazenamento, acessos múltiplos, entre outros benefícios.

COMPARTILHE

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

8 dicas para evitar glosas

Mostramos 8 maneiras eficientes de evitar ou corrigir um dos problemas mais difíceis de lidar nas instituições de saúde: as glosas.

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para as instituições?

Como o RIS na Radiologia traz vantagens para instituições de saúde? Como era antes e como deve ser agora com adoção de RIS pelas instituições de saúde.

Não deixe dinheiro na mesa: controle efetivo do faturamento hospitalar

Saiba quais são os segredos para garantir uma gestão eficiente e um faturamento hospitalar saudável

Acompanhe a Pixeon. Leia mais artigos ›